Empresário que teria ligações com o secretário de Fazenda recebeu mais de R$ 2 milhões dos cofres municipais de Macaé

Com três contratos firmados com a Prefeitura de Macaé entre 2015 e 2016 e esticados nos anos seguintes através de termos aditivos, a empresa Prime Soluções Empresariais do Brasil recebeu mais de R$ 2 milhões dos cofres da municipalidade nos últimos anos, o que passaria batido se uma denúncia encaminhada ao Ministério Público Estadual na última segunda-feira (27), não revelasse supostas ligações entre o secretário de Fazenda Ramirez Cabral dos Santos Cândido com o empresário Fagner Troina Coimbra. Os contratos – que somam mais de R$ 4,8 milhões –, foram firmados para fornecimento de um servidor, locação de veículo e instalação de rede de internet sem fio. Fagner é filho de uma assessora do secretário e, segundo a denúncia, reside em um apartamento que seria de propriedade de um cunhado de Ramirez.

A representação – também encaminhada ao Ministério Púbico Federal – foi feita por um cidadão da cidade e cita vários dados que causam suspeita de “atos de improbidade administrativa e possíveis crimes contra a administração pública como fraudes em licitações com a Prefeitura de Macaé, locupletação ilícita com o erário público, inserção de informações falsas em sistemas e documentos públicos, peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, organização criminosa, tráfico de influência, enriquecimento ilícito e crimes contra o sistema tributário”.

Elos – O primeiro ponto da denúncia é o fato de a mãe do dono empresa, a auxiliar de serviços gerais escolares, exercer um cargo comissionado na Secretaria de Fazenda, com salário de R$ 7.241,43.

Outro dado que ligaria a empresa à Secretaria de Fazenda é o fato de o contador da Prime, ser filho do subsecretário de Tributos, Márcio Bravo. O terceiro ponto diz respeito ao apartamento onde o empresário reside, que estaria registrado em nome do marido de uma irmão do secretário. A denúncia fala ainda de aquisições de imóveis de luxo, entre eles uma casa adquirida por R$ 1,4 milhão, sendo que parte do pagamento no valor de R$ 956.963,74 teria sido paga a vista.

Pagamentos – De acordo com dados do sistema que registra os pagamentos feitos pela Prefeitura a empresas prestadoras de serviços e fornecedores, a Prime Soluções Empresariais do Brasil recebeu até agora o total de R$ 2.004.699,42 dos cofres públicos do município: R$ 52.338,76 em 2015, R$ 870.087,66 no ano seguinte, R$ 978.773,00 em 2017 e R$ 103.500,00 no ano passado.

Confira também

Polícia prende assassino de vereador em Araruama

Na ação, houve apreensão de grande quantidade drogas Em ação conjunta das polícias militar e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *