PEDIDO DE CPI PROTOCOLADO NA CÂMARA DE VEREADORES EM CASIMIRO DE ABREU.Boa tarde amigos!Na manhã de hoje, dia 16 de julho de 2018, Dr. Adriano e eu protocolamos junto à Câmara de Vereadores um pedido de CPI para investigação das denúncias feitas pelo vereador Neném da Barbearia.

Posted by Ramon Gidalte on Monday, July 16, 2018

Escândalo em Casimiro de Abreu: denúncia só foi feita após apreensão

Feita na casa de uma pessoa que teria recebido cópias das gravações que revelam esquema montado para comprar voto de vereador na Câmara 

 Paralelamente aos procedimentos do Ministério Público, a Câmara de Casimiro de Abreu vai analisar o pedido de abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar a denúncia apresentada pelo vereador Leilson Ribeiro da Silva, o Neném da Barbearia, de que dois membros da Casa e um empresário que tem contrato com a Prefeitura lhe ofereceram R$ 100 mil para que deixasse de comparecer à sessão do dia 11 de abril deste ano, na qual as contas do ex-prefeito Antonio Marcos Lemos. Estranhamente Neném só procurou o MP na última sexta-feira (13), mesmo dia em que aconteceu uma operação de busca e apreensão na casa de uma pessoa a quem, supostamente, o denunciante teria confiado as gravações, cujas cópias ele entregou à Promotoria no ato de seu depoimento.

O pedido de investigação foi protocolado ontem (16) pelos vereadores Adriano Santos Lima e Ramon Gildade, com as assinaturas de ambos e a de Neném. A expectativa de que os vereadores de Ozilei Alves Moreira, o Lelei da Marmoraria (PSL) e Marcos Frese Miller, o Marquinho da Vaca Mecânica assinem o documento nesta terça-feira.

Ao todo foram entregues ao Ministério Público cinco arquivos em áudio, nos quais os vereadores Bruno Miranda e Rafael Jardim (presidente da Câmara) aparecem tentando convencer Neném a não comparecer à sessão, em troca do pagamento de R$ 100 mil, proposta que foi reforçada pelo empresário Wendel Veloso, conhecido na cidade como Careca do Gás. Em seu depoimento ao MP Neném afirmou que o empresário dizia falar em nome do prefeito Paulo Dames, em cujo apartamento, em Niterói, o dinheiro seria entregue.

Se aplaudido pela iniciativa de ter procurado o Ministério Público para denunciar o esquema de corrupção, o vereador Neném da Barbearia já começa a ser questionado por ter esperado mais de dois meses para fazer a denúncia, já que fora ele mesmo quem fez as gravações, sendo que a última conversa, como ele mesmo revelou, aconteceu no dia 10 de abril, dois meses e três dias antes de seu comparecimento espontâneo ao MP.

Confira também

Merenda escolar é caso de saúde e de polícia em Araruama

Depois de constatarem leite em pó fora do prazo de validade em uma escola do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *