GRUPO PRESO POR FRAUDE ATUA EM SILVA JARDIM COM OUTRO NOME

Empresa Mais Luz é dos mesmos donos da Compilar, que prestava serviço em São Gonçalo

Presos na manhã desta quinta-feira na Operação Apagão, deflagrada pelo Ministério Público a partir de inquérito aberto para apurar fraude na contratação do serviço de gestão informatizada e manutenção do sistema de iluminação pública de São Gonçalo, os empresários Paulo Roberto de Souza Cruz e Wanderson Gonçalves Lopes atuam também no município de Silva Jardim, onde começaram a operar no mês passado com a empresa Mais Luz Engenharia, contratada pelo prefeito Anderson Alexandre para prestar os mesmos serviços. A Mais Luz está registrada em nome de Wanderson e de Roberta Eloá de Souza Lima, mas é representada no município por Paulo Roberto. O valor do contrato em Silva Jardim ainda não foi divulgado pela Prefeitura, que também não disponibilizou nenhuma informação sobre o processo licitatório, mas em São Gonçalo o MP estima que os prejuízos aos cofres públicos tenham passado de R$ 40 milhões.

Em São Gonçalo o grupo atuava com a empresa Compillar Entretenimento Prestadora de Serviços, que teve um contrato de R$ 15,5 milhões renovado duas vezes. Na operação de hoje, além de Paulo Roberto e Wanderson, Marcelo Araújo dos Santos e Luana Ferreira Neves, também representantes da empresa; o ex-prefeito Neilton Mulim, o ex-secretário de Urbanismo Francisco Rangel, o subsecretário de Iluminação Pública Davi Luz Fonseca e os servidores efetivos Wellington de Sant’anna Souza, Marco Antônio Monteiro Garcia, Marcelo Ferreira Neves e Fagner Mota Chaves, todos denunciados por organização criminosa.

A Mais Luz Engenharia começou a atuar em Silva Jardim no dia 19 de julho, quando o projeto “Mais Luz Silva Jardim” foi lançado na Câmara de Vereadores pelo prefeito Anderson Alexandre e Paulo Roberto de Souza Cruz, que ao falar em nome da empresa estipulou um prazo de 90 dias para resolver “todos os problemas de lâmpadas danificadas na cidade”.

No caso de Silva Jardim a contratação do serviço de gestão e manutenção do sistema de iluminação pública está envolta em mistérios. Embora a empresa esteja operando na cidade há quase o mês, a Prefeitura ainda não divulgou o contrato, o valor contrato e no Portal da Transparência do município não aparece qualquer informação sobre o processo licitatório que teria sido vencido pela Mais Luz.

 

Confira também

PF faz operação em Casimiro de Abreu para combater fraudes previdenciárias

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira (8), com o apoio da Coordenação-Geral de Inteligência …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *