Las Vegas, luzes, diversão e cassinos

Imaginação é o que não falta em Las Vegas. A fim de atrair ainda mais a atenção, um hotel foi construído como réplica da cidade de Nova York e tornou-se uma das principais atrações / GB Imagem

Luzes, cores, agitação, adrenalina, sorte ou azar, tudo isso em um único lugar. Os jogadores compulsivos vão lá para jogar e ter a alegria de ganhar milhões ou, simplesmente, perder milhões. Depende do bolso de cada um. Quem acompanha a novela “A Força do Querer” pode imaginar o “estrago” que a personagem Silvana (Lilia Cabral) iria fazer por lá, afinal ela é viciada em jogo e até já foi presa, pega em um cassino clandestino. Mas deixando a ficção de lado voltamos ao mundo real. Ainda sem perder totalmente a fama de “Cidade do Pecado”, Las Vegas firmou-se como um centro de diversão para a família. No entanto, sem dúvida, é a capital mundial dos cassinos. Em Las Vegas quase tudo é grande e luminoso e a cidade diverte milhões de pessoas durante o ano. O comentário é que nenhum dos quartos dos hotéis acomoda o mesmo hóspede mais do que quatro dias, isto dá uma ideia da rotatividade das pessoas. Claro que os fãs dos cassinos se permitem estender a estadia por dias e mais dias e não se contém diante das inúmeras possibilidades de fortuna fácil.

O coração de Las Vegas está em The Strip onde os cassinos e boates permanecem abertos 24 horas por dia. O espetáculo começa com a arquitetura dos prédios, cada um deles tenta superar o outro e assim a extravagância nas decorações oferece espetáculo único ao visitante. Por lá, gigantismo é o tema preferido dos hotéis, parques e cassinos tem a intenção de impressionar o visitante. E conseguem. Um exemplo clássico disso é o cowboy Vegas Vic, um vaqueiro de neon erguido em 1951 no interior do The Pioneer Clube e que tem 18 metros de altura.

Os letreiros de neon e as luzes delineando os prédios significam que Las Vegas jamais dorme e qualquer um pode ficar multimilionário de uma hora para outra. O mais simples dos caça-níqueis oferece prêmios de milhões de dólares. Alguns dos cantores mais bem pagos do mundo e outros artistas apresentam-se em inúmeros shows de variedades. Os mágicos fazem exibições espetaculares, transformam elefantes em coelhinhos brancos que desaparecem no ar. Tudo é de tirar o fôlego. Se a intenção é manter a adrenalina a mil, o lugar é mesmo Las Vegas.

Paralelamente, denominações religiosas estão representadas em mais de quinhentas igrejas e capelas. É digno de nota a quantidade de casamentos que são realizados anualmente na capital dos cassinos. O casal que quiser se unir pode recorrer a tais capelas a qualquer hora da noite ou do dia. Elas funcionam 24 horas e oferecem cerimônias exóticas, ou não, tudo a gosto dos noivos. A estimativa é que, em média, 200 casais unem-se semanalmente em Las Vegas.

Falando agora do dinheiro fácil – perde-se também o dinheiro facilmente – no interior dos cassinos, os jogadores podem escolher entre as dezenas de mesas de dados, “blackjack” (jogo de azar praticado com cartas de baralho) e roleta; fileiras de caça-níqueis e máquinas de “pinball”, com suas luzes pulsantes. A iluminação do ambiente é indireta e a oferta de bebida bem variada. Tudo organizado para que o jogador se sinta completamente à vontade. E mais, em outro ambiente, jogadores compenetrados se dedicam a intermináveis partidas de bacará e pôquer. Alguns deles permanecem ali até perderem tudo o que possuem. Mesmo que saia vencedor será difícil resistir às possibilidades oferecidas por Las Vegas. Em todos os lugares, a começar pelo aeroporto, recepções dos hotéis, restaurantes e lavanderias oferecem a tentação dos caça-níqueis.

Imaginação é o que não falta em Las Vegas. A fim de atrair ainda mais a atenção, um hotel foi construído como réplica da cidade de  Nova York e tornou-se uma das principais atrações. Curiosidade interessante, a cidade tenta se livrar do rótulo de ser libertina e bem permissível adotando estratégias para atrair as famílias, no entanto os cassinos continuam a fazer sua fama. Tais locais tanto podem enriquecer como arruinar uma pessoa. Aos perdedores inveterados, aqueles que arriscaram tudo nas apostas, os cassinos costumam oferecer passagens de volta para suas cidades de origem. Cortesia da casa.

A cidade também é um dos destinos mais procurados para convenções empresariais e despedidas de solteiro. No entanto, Las Vegas também oferece intensa vida cultural, shows gratuitos, exposições de arte, parques aquáticos, zoológicos e parque de diversões. Lembrando que tudo grandioso e flamejante de luzes.

Las Vegas está localizada no Estado de Nevada, próxima à costa oeste americana e no meio de um deserto. Não tem voo direto do Brasil. Pelo menos uma conexão será inevitável.  Consta que não é tão complicado conseguir o visto temporário para visitar a cidade, mas se a intenção é mesmo viajar para lá, melhor não deixar tudo para a última hora.

Democrática e divertida, não existe regras para o figurino. Permite-se qualquer tipo de vestimenta, mas na hora de arrumar a mala, não se esqueça que por lá faz calor e por isso jeans, camisetas, vestidos confortáveis e bermudas não podem ser esquecidos. Mas se você quiser brilhar tanto quanto à cidade, nada te impede.

O aeroporto internacional de Las Vegas – McCarran Internacional – fica a quatro quilômetros da principal avenida, a Las Vegas Boulevard, mais conhecida como “Strip”, e o turista, depois de passar pela burocracia da chegada, é recepcionado por uma sucessão de “sorridentes” máquinas de caça-níqueis. Quem resiste à tentação de enriquecer logo na chegada?!

 

Confira também

Genebra, um encanto de cidade!

SUPERAPETITE – 24-10-17 Tudo tão lindo, tão limpo e tão perfeito que mais parece cenário, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *