Mais recursos não garantem melhorias para a população de Japeri

Dizem nos ambientes políticos de Japeri que para ser considerada ruim a gestão do prefeito Cesar Melo precisa melhorar muito, e lideranças comunitárias e moradores da cidade mais pobre da Baixada Fluminense não pensam diferente. A estagnação do município, a precariedade do setor de saúde e a falta de realizações voltadas para melhorar a qualidade de vida motivam a insatisfação cada vez maior com um governante que, ao que parece, estaria ansioso pelo fim do mandato para passar a batata quente para as mãos de outro, apesar de correr nos mesmos ambientes que Melo é o prefeito, mas quem estaria governando a cidade seriam os titulares das secretarias de Saúde e de Governo.

De acordo com alguns fornecedores e prestadores de serviços, as contas de 2019 ainda não foram fechadas, pois ainda há muitas faturas para receber. Porém, de acordo com dados do Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil, as transferências constitucionais foram maiores em 2019 que no ano anterior, um total de R$ 9,7 milhões a mais.

O sistema mostra que – além dos repasses do Fundo Nacional de Saúde e das verbas de emendas parlamentares –, a Prefeitura de Japeri recebeu o total de R$ 122.496.157.74 entre janeiro e dezembro do ano passado, enquanto as transferências constitucionais registradas somadas em 2018 chegaram a R$ 112.727.525,40, volume que por sua vez superou o de 2017, que ficou em R$ 99.384.079,59

Confira também

MP e Câmara de Cabo Frio convocam audiência pública para discutir transporte de ônibus em Tamoios

Discutir a qualidade do transporte público para o segundo distrito de Tamoios. Este é o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *