O governo de Epitácio Pessoa

28 de julho de 1919 tomava posse o Presidente Epitácio Pessoa, que governou o Brasil até o ano de 1922 / Arquivo GB Imagem

No dia 28 de julho de 1919 tomava posse o Presidente Epitácio Lindolfo da Silva Pessoa. Nascido em Umbuzeiro, na Paraiba, em 23 de maio de 1865, governou o Brasil até o ano de 1922.  Seu governo foi marcado por revoltas militares que acabariam na Revolução de 30, a qual levou Getúlio Vargas ao poder. Epitácio Pessoa foi ainda deputado federal em duas oportunidades, Ministro da Justiça do Supremo Tribunal Federal, procurador-geral da República, senador três vezes, chefe da delegação brasileira junto à Conferência de Versalhes e juiz da então Corte Internacional de Haia.

No governo de Epitácio Pessoa os países industrializados foram forçados a concentrar esforços na indústria de armamentos. O Brasil exportou matérias-primas a preços compensadores e ampliou seu parque industrial, fabricando aqui produtos antes importados. Com o fim da guerra, a Europa reabilitou suas indústrias. Sucederam-se greves operárias;  empresariado e cafeicultores tentavam impôr suas reivindicações. Epitácio Pessoa tentou implantar uma política de poucos gastos. Contudo, vieram as pressões dos Estados. Em seu governo foi eletrificado a Estrada de Ferro Central do Brasil, com verbas vindas de um empréstimo conseguido com os Estados Unidos.

Epitácio não escapou da política dos governadores, pela qual o governo federal deveria intervir a favor dos grupos aliados em troca de apoio no Congresso. Enfrentou um dos períodos políticos mais conturbados da Primeira República, com a “Revolta do Forte de Copacabana”, a “Crise das Cartas Falsas” e a “Revolta do Clube Militar”. Seu processo sucessório transcorreu dentro de um clima altamente agitado nas Forças Armadas. Entre os tenentes e subalternos havia um clima de oposição por reformas políticas profundas. Epitácio Pessoa foi sucedido por Artur Bernardes.

Confira também

O talento da atriz Christiane Torloni

Após quase dois anos, a atriz retornou ao cenário das novelas em “O Tempo Não …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *