ONDE ESTÃO AS AMBULÂNCIAS, PREFEITO

Polícia Federal diz que de 15 veículos alugados só sete estariam em uso em Cabo Frio

“Havia apenas sete ambulâncias das 15 alugadas em uso, todas em mau estado de conservação, o mesmo ocorrendo com os veículos de passeio locados”. É o que diz a Polícia Federal sobre um contrato de aluguel de carros firmados pela Prefeitura de Cabo Frio através da Comsercaf, cujo presidente, Cláudio de Almeida Moreira, foi preso na última terça-feira, acusado de ser o chefe de uma organização criminosa montada dentro da autarquia. Os veículos foram locados emergencialmente junto à empresa Connect Locação de Veículo, sediada em Belo Horizizonte (MG). O prefeito Marcos da Rocha Mendes, o Marquinhos Mendes (foto), ainda não se pronunciou sobre a prisão de Moreira nem em relação as denuncias apresentadas pelo Ministério Público, mas vai ter que esclarecer se o contratado estava ou não sendo fornecido pela empresa.

Em janeiro a Companhia de Serviço de Cabo Frio fez dois contratos sem licitação com a Connect, um para locação de 15 ambulâncias e outro pelo aluguel de 30 veículos populares motor 1.0. Os contratos foram prorrogados, mas a quantidade de ambulâncias encontrada em operação, segundo foi apurado pela Polícia Federal, é bem menor, apenas sete, mesmo assim em mau estado, mesma situação dos veículos de serviço que, se não em número menor, estavam mal conservados.

Ainda de acordo com o que foi apurado, a locadora de veículos, embora registrada em nome de Wesley Junior Fraga de Paula, pertence aos mesmos empresários – que também através de um laranja – administra a Prime Serviços Autorizados, contratada emergencialmente para fazer a coleta de lixo. Os verdadeiros donos das duas empresas, segundo as investigações, são Bruno Toledo e Pablo Angel Santos Rodrigues, também presos pela Polícia Federal na Operação Basura (lixo em espanhol).

Confira também

Justiça bloqueia bens de ex-prefeito de Casimiro de Abreu

Decisão atinge ainda ex-secretária de Educação e quatro empresas O juiz Rafael Azevedo Ribeiro Alves, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *