“Viúva da Mega Sena”, tem mais um habeas corpus negado

Adriana foi condenada em dezembro de 2016 a 20 anos de prisão em regime fechado pela acusação de mandar matar, em janeiro de 2007, o seu companheiro Renné Sena. Foto: Reprodução/Tv Globo

A cabeleireira Adriana Ferreira Almeida, condenada pela morte de seu companheiro Renné Senna, teve negado mais um pedido de habeas corpus. A decisão foi na quarta-feira (13), do desembargador Claudio Tavares, da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Adriana foi condenada em dezembro de 2016 a 20 anos de prisão pela acusação de mandar matar, em janeiro de 2007, o seu companheiro Renné Senna, lavrador que ganhou R$ 52 milhões na Mega-Sena. Adriana cumpria a pena domiciliar em Cachoeiras de Macacu.

Adriana teve um mandado de prisão expedido no mês passado pela 2ª Vara Criminal de Rio Bonito, mas ainda não foi presa por não ter sido encontrada em nenhum dos endereços que constam no processo.

No dia 7 de janeiro de 2007, Renné estava em um bar sem seguranças, próximo à sua fazenda, quando dois homens encapuzados chegaram numa moto e o carona atirou em Renné. Ele morreu na hora.

As balas acertaram a nuca, a têmpora esquerda, o olho esquerdo e o queixo do milionário. A viúva Adriana foi acusada pela filha e pela irmã da vítima, Renata de Almeida e Jocimar da Rocha, de ser a mandante da execução.

Confira também

Ministro do Supremo suspende inelegibilidade de Garotinho

O ministro Geraldo Og Niceas Marques Fernandes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), concedeu liminar para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *