NOVO PROCURADOR DE MACAÉ É RÉU POR IMPROBIDADE

Por Cezar Guedes em 08/01/2021 às 00:47:44

O prefeito Welberth Rezende declarou em seu discurso de posse que seria implacável com a corrupção. Menos de uma semana depois, vem à tona denúncias de corrupção envolvendo o novo procurador geral do Município, Fabiano Lima Paschoal (foto), nomeado na segunda-feira (4).

Ele é acusado pelo Ministério Publico (MP) de supostamente desviar dinheiro público da Prefeitura de Macaé em favor da União Municipal dos Estudantes (UME), entidade já extinta e usada como fachada para a fraude que seria feita por meio de subvenções sociais.
A Ação de Improbidade Administrativa foi movida pelo MP em 2016. O esquema ficou conhecido como "PropinUme". Os fatos ocorreram durante o governo Riverton Mussi (PDT).
De acordo com o MP, as subvenções beneficiaram a diretoria da UME e seus respectivos familiares. Gastos inexplicáveis como a compra de artigos de Umbanda pela entidade não passaram despercebidos. Durante a gestão de Fabiano Paschoal, os gastos beiraram a R$ 600 mil, corrigidos monetariamente.
O MP pede que Fabiano seja condenado nos termos da Lei de Improbidade Administrativa: perda da função pública, ressarcimento ao erário, multa e proibição de contratar com o poder público . O valor a ser pago, tanto pelo procurador, quanto por Riverton e a UME, réus no processo, pode chegar a R$ 1,5 milhão.


*O espaço está aberto para manifestação dos citados na matéria.

Comunicar erro
TV AO VIVO
Minha Casa Pre Fabricada