Preste atenção nos alimentos que você adquire

Por Cosme N Braga em 08/04/2021 às 11:51:54
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

É verdade que a pandemia do novo coronavírus tem merecido toda a nossa atenção, no entanto as outras doenças continuam a acontecer paralelamente ao que estamos vivendo.

Um dos pontos principais do nosso dia a dia é a alimentação. Desde o momento em que saem do campo até chegarem ao prato, os alimentos percorrem longo caminho. Se não forem manipulados corretamente, com higiene e segurança, eles oferecem riscos à saúde, principalmente às crianças, idosos, gestantes e pessoas com baixa resistência imunológica.

As principais doenças de origem alimentar são causadas por fungos, vírus e bactérias. Esses microorganismos nem sempre alteram a cor ou o cheiro dos alimentos, tampouco podem ser vistos a olho nu. No Brasil, a campeã é a infecção por salmonela, principalmente por causa do consumo de ovos ou maionese caseira contaminada. Dores no estômago, náuseas, mal-estar e febre, que podem durar alguns dias ou evoluir para um quadro mais grave, são indícios de doenças causadas pela ingestão de alimentos contaminados. Na presença de algum desses sinais, é necessário procurar atendimento médico.

Em casa, o hábito de lavar as mãos e ter cuidados básicos na preparação e conservação dos alimentos pode reduzir drasticamente o risco de contaminação. Já agricultores, fabricantes, distribuidores, transportadores, comerciantes e ambulantes devem adotar boas práticas nos serviços. Essas medidas preventivas garantem segurança e qualidade dos alimentos.

O consumidor deve ficar atento logo no momento da compra dos alimentos. Adquira produtos de boa qualidade, com procedência e registro nos órgãos oficiais (Ministérios da Agricultura e da Saúde, SIF etc.), e com a embalagem intacta. Devem constar do rótulo as datas de fabricação e de validade, nome e endereço do produtor, registro do produto, suas características, composição, instruções sobre conservação e utilização do alimento. Observe as geladeiras e os congeladores dos estabelecimentos. Eles não podem estar abarrotados e devem ter termômetros que permitam a leitura das temperaturas, que têm de estar entre 0ºC e 10ºC para produtos resfriados e em -18ºC para alimentos congelados. Verifique se os alimentos não estão expostos ao calor, à umidade ou se encontram próximos de outros produtos que possam comprometer a sua qualidade. Os alimentos perecíveis devem ser comprados por último, rapidamente levados para casa e colocados em refrigeração. Os alimentos prontos que são consumidos quentes devem estar armazenados e expostos em temperaturas superiores a 65ºC. Os funcionários devem usar uniformes, manter boa higiene pessoal e, ao manipular os alimentos, seguir as normas de higiene: usar touca para cabelo, avental, luvas e lavar frequentemente as mãos.

É importante cozinhar bem os alimentos. A temperatura deve chegar a 70ºC em toda a massa do alimento, interna e externamente. Na hora de reaquecer, a temperatura deve ser a mesma. Lave as mãos antes de iniciar o preparo dos alimentos, após qualquer interrupção e ao manipular alimentos diferentes. Em caso de cortes ou feridas das mãos, você deve cobri-los antes de entrar em contato com os alimentos. Lave a tábua de corte de alimentos após cada uso. Mantenha higienizados todos os equipamentos, superfícies e utensílios da cozinha. Para isso, utilize água fervente ou álcool a 70% ou solução de cloro. Descongele e dessalgue os alimentos na geladeira. Se a fonte de água não é confiável, ferva-a antes de utilizá-la nos alimentos ou de transformá-la em gelo.

Antes de consumir alimentos em bares, restaurantes e cantinas, verifique as condições de higiene do local e dos funcionários e se os alimentos estão expostos corretamente e na temperatura ideal.

Fique de olho!

Comunicar erro
Anazon-Moda e Beleza