Pousada da pontinha rodape

Melhorando as orelhas

A Otoplastia é capaz de corrigir as deformidades e devolver a autoestima

Por Cezar Guedes em 29/03/2020 às 16:04:39
Quem se sente desconfortável com o formato das orelhas pode recorrer ao cirurgião plástico e corrigir o seu problema através da Otoplastia / GB Imagem

Quem se sente desconfortável com o formato das orelhas pode recorrer ao cirurgião plástico e corrigir o seu problema através da Otoplastia / GB Imagem

Que atire a primeira pedra quem nunca ouviu a frase "orelha de elefante" ou "orelha de Dumbo" como gozação a alguém que tem deformidade nas orelhas. Na verdade, um comportamento assim tem nome: é Bulyng e tem sido combatido com veemência principalmente nas escolas.

A chamada "orelha de abano" pode causar sérios problemas psicológicos no indivíduo.

Trata-se de um desconforto estético que pode ser corrigido através de um procedimento chamado Otoplastia realizado por um médico especialista em Cirurgia Plástica. Geralmente, a malformação das orelhas provoca apelidos e piadas de mau gosto, que começam na infância, e fatalmente afetará a autoestima e influenciará no comportamento na vida adulta. A própria pessoa restringe o seu convívio social e isso é provocado por complexo de inferioridade.

Para entender melhor, as "orelhas de abano" são uma deformidade na estrutura das orelhas presente desde o nascimento e que vai se tornando cada vez mais aparente com o desenvolvimento.

A Otoplastia promove a correção externa do órgão. Ela corrige tanto a estrutura das "orelhas de abano", quanto trata orelhas com deformidades causadas por alguma lesão. A Otoplastia cria uma forma natural, dando equilíbrio e proporção às orelhas e à face. A correção de deformidades menores pode beneficiar a aparência, que está diretamente ligada ao aumento da autoestima, bem-estar emocional e social.

Somente uma consulta com um profissional irá preparar o paciente para a cirurgia, fazer com que ele entenda seu problema e opte pela melhor solução. Especialistas em Otoplastia explicam que em alguns casos, como para orelhas pequenas, apenas reconstruções com próteses pré-moldadas ou cartilagens retiradas do próprio paciente podem ser indicadas. Para deformidades congênitas ou causadas por acidente pode ser necessário algum tipo de enxerto nas orelhas.

Além de preparar o paciente para a cirurgia, a consulta com o especialista mostrará os riscos e benefícios do procedimento e alinhará a expectativa com as possibilidades de tratamento e que tipo de resultado poderá ser alcançado.

O procedimento é indicado tanto para crianças quanto para adultos. A cirurgia é feita por uma incisão atrás da orelha para a retirada da pele em excesso e modelagem da cartilagem, conforme cada caso.

E como o assunto é orelhas, existem também técnicas indicadas para correção de lóbulo, quando o furo da orelha rasga devido ao uso de brincos pesados ou flacidez da pele. Este é um procedimento relativamente simples e que tem mudado a vida de muitas mulheres infelizes com o aspecto de sua orelha e impossibilitadas de continuar usando brincos.

Após a cirurgia para correção, o curativo é mantido por 1 a 2 dias. O paciente deve utilizar por um mês uma faixa elástica que segura às pontas das orelhas. Nesse período, é recomendável evitar a exposição ao sol para favorecer a cicatrização.

Como em qualquer cicatriz, existe risco de queloide, por isso o paciente deve seguir todas as recomendações médicas para melhor cicatrização da cirurgia.

Crianças devem aguardar um período de uma semana para voltar às atividades normais, como ir à escola, para evitar o risco de trauma nas orelhas recém-operadas.

Os adultos podem voltar às atividades, geralmente em sete dias. Exercícios físicos deverão ser leves no início, evitando-se trauma no local operado.

A correção de "orelhas de abano" é importante porque, como explicado no início, está se lidando com a saúde emocional do indivíduo, fundamental para o seu desenvolvimento como ser humano e cidadão.

É importante os pais consultarem o pediatra que normalmente atende a criança e pedir-lhe orientações caso esta tenha "orelhas de abano". O especialista na correção é o Cirurgião Plástico e procure profissionais que façam parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O Sistema Único de Saúde (SUS) também oferece atendimento nestes casos. Procure um posto de atendimento em sua cidade e informe-se sobre os encaminhamentos a serem cumpridos.

Em tempo, quem tem "orelhas de abano" e sente-se bem com sua aparência, não há nada que o obrigue a submeter-se a cirurgia e deve ser respeitado. A intenção é apenas informar que para aqueles que se sentem infelizes com sua aparência, "orelha de abano" tem solução.

Lapec

Comentários

Otica lider