Realeza e cangaço deram um toque especial em "Cordel Encantado"

Uma verdadeira história de conto de fadas, ambientada na fictícia cidade de Brogodó, no sertão brasileiro foi o fio condutor da novela que volta no "Vale a Pena Ver de Novo"

Por Cezar Guedes em 10/01/2022 às 00:31:11
Açucena (Bianca Bin) e Jesuíno (Cauã Reymond) tiveram seus encontros e desencontros em

Açucena (Bianca Bin) e Jesuíno (Cauã Reymond) tiveram seus encontros e desencontros em "Cordel Encantado" / Estevam Avellar

A famosa literatura popular de cordel foi a grande fonte de inspiração de "Cordel Encantado".

Sucesso de 2011 a trama teve como ponto de partida dois imaginários: as lendas heroicas do sertão nordestino e o encantamento da realeza europeia, ambos temas presentes nos poemas populares de cordel que tiveram origem na Europa da Idade Média. A união desses dois universos se traduz no romance do casal central formado por Açucena (Bianca Bin), uma cabocla brejeira criada por lavradores no nordeste do Brasil, sem saber que é a princesa de um reino europeu; e Jesuíno (Cauã Reymond), um jovem sertanejo que desconhece ser filho legítimo do cangaceiro mais famoso da região.

A nova novela foi autoria de Thelma Guedes e Duca Rachid com direção-geral de Amora Mautner e marcou a estreia do saudoso Domingos Montagner na televisão e também do ator Mauricio Destri.

Uma curiosidade que chama a atenção é que em 2018 a Globo escolheu reprisar em suas tardes "Cordel Encantado", uma novela que já estava disponível na íntegra no Globoplay. Nos últimos anos, apenas "Cheias de Charme" (2012), dos folhetins hospedados na plataforma, ganhou reapresentação.

Também estavam no elenco, entre outros, Felipe Camargo, Luiz Fernando Guimarães, Marcos Caruso, Matheus Nachtergaele, Osmar Prado e Zezé Polessa.

Originalmente, na tela da Globo "Cordel Encantado" foi exibida de 11 de abril a 23 de setembro de 2011, com bons índices de audiência.

Comunicar erro
Anazon-Moda e Beleza