Ressaca de Natal em Casimiro de Abreu: Com medo do MP prefeito retém pagamento da empresa que alugou guarda-chuvas a R$ 201

Por Cezar Guedes em 15/01/2022 às 09:27:44

Sabendo que o caso dos guarda-chuvas alugados a R$ 201 pode "dar pano para manga" e render "dor de cabeça" junto ao Ministério Público, o prefeito de Casimiro de Abreu, Ramon Gidalte, não estaria pretendendo pagar o valor global do contrato de R$ 584.064,00 firmado em novembro de 2021 com a empresa FJR Contildes Produções, que ficou encarregada da decoração natalina em espaços públicos da cidade.

A informação foi passada na noite de ontem (14) ao Jornal dos Municípios por uma fonte ligada ao governo. Segundo a fonte, o escândalo dos guarda-chuvas teria deixado muita gente "cabreira" no governo, principalmente nos setores de licitação e controladoria.

A fonte revelou ainda que o prefeito, apesar de estar tentando tirar o corpo fora, sabe que não poderá fugir da responsabilidade, embora tenha gente achando que Ramon irá tentar colocar o problema na conta da Secretaria de Turismo, cuja titular, Adriana Grillo de Brito, foi quem homologou o contrato 079/2021 firmado para ornamentação de vários pontos do município, composta de 26 itens, entre eles os 400 guarda-chuvas vermelhos, licitados a R$ 201, chegando ao total de R$ 80.400,00.

A empresa FJR Contildes é antiga na prestação de serviços à Prefeitura de Casimiro de Abreu, e durante o exercício de 2021teve empenhados a seu favor a soma de R$ 739.054,00. Do total falta ser pago o valor de R$ 584.064,00, referente ao contrato da decoração natalina, que consta no sistema que registra as despesas da Prefeitura vinculado à nota de empenho 2021110001752, datada de 29 de novembro do ano passado.

*O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura de Casimiro de Abreu.

Comunicar erro
Computadores na amazon
Anazon-Moda e Beleza