"Prefeito de Rio das Ostras tem que ser responsabilizado pelo caos na saúde", denunciam parlamentares

Por Cezar Guedes em 28/05/2021 às 09:20:40

A Saúde de Rio das Ostras está falida. Falta transparência. Falta medicação. Médicos que assinam folha de ponto, mas que não trabalham. E a pergunta mais gritante. Onde estão os R$ 50 milhões recebidos do Governo federal para a gestão da Pandemia em um ano e meio de surgimento do coronavírus.

Todas essas denúncias vão para o gabinete dos promotores de justiça, conselheiros de tribunais de contas e de mais órgãos de fiscalização e controle. É o que prometem o deputado estadual Filippe Poubel (PSL) e o vereador riostrense Marciel Gonçalves.

Ambos estiveram no Centro de Triagem de Covid na manhã da sexta-feira (21) e expuseram, segundo eles, a falta de transparência e descontrole na gestão daquela unidade. "O Município recebeu R$ 50 milhões, mas nenhum leito de UTI foi instalado. Não há medicação. O prefeito nada faz. E os próprios funcionários denunciam que não é o Covid que mata, mas a corrupção", desabafou Marciel.

Segundo Poubel há provas de superfaturamento na compra de materiais hospitalares, configurando crime. Pior, os recursos recebidos no ano passado, teriam sido desviados para suprir a folha de pagamento do funcionalismo e bancar a campanha de reeleição do prefeito Marcelino da Farmácia.

No Centro de Triagem, foi encontrada folha de ponto não assinada por médicos, que, no entanto, estavam inscritos na escala de plantão da unidade. "O povo paga para ter médico e não tem. Vamos encaminhar essa denúncia ao Ministério Público para saber se estão recebendo salário sem trabalhar. Isso é crime.

Ainda no Centro de Triagem da Unidade, Poubel e Marciel flagraram aventais descartáveis sendo reutilizados. Eles questionaram diretamente o diretor da Unidade que, atarantado, não sabia explicar a maioria das perguntas. "O senhor é como Lula, nunca sabe de nada", ironizou Poubel.

"O que vimos aqui é fruto de reclamação constante. Nós nos deparamos com uma escala de trabalho dos médicos mentirosa. Nove médicos na escala, mas não tem cinco na unidade. Famílias são obrigadas a compararem remédios caríssimos e quando não podem comprar, o paciente morre por falta de medicamento. Marcelino tem que ser responsabilizado pelo caos na saúde de Rio das Ostras", encerrou Marciel.

Comunicar erro
Anazon-Moda e Beleza